sábado, 28 de março de 2015

Mundo Hurley: Confira a entrevista com Alejo Muniz direto da Califórnia para a Hardcore

Marcos Bocayuva entrevistou Alejo Muniz diretamente da Califórnia e a revista Hardcore disponibilizou o vídeo em seu site. O catarinense fala sobre sua primeira vitória no ano de 2015, sobre o amigo Ricardo dos Santos, a respeito de equipamentos e muito mais. Assista a entrevista:
Mais informações »

sexta-feira, 27 de março de 2015

Trickline, Highline, Longline e Waterline: Saiba tudo sobre a multiplicidade do slackline

Força, equilíbrio, concentração e outras capacidades físicas são aprimoradas na prática do Slackline, que tem conquistado os brasileiros. Nos desenhos animados, sempre que se precisa referir a um equilibrista, o mesmo aparece caminhando sobre uma cordatracionada enquanto a plateia, ansiosa, observa o profissional seguir passo a passo em direção ao outro lado do picadeiro. Na vida real o treino de equilíbrio sobre uma fita tracionada também existe e está se tornando cada vez mais popular no Brasil. É o slackeline, que nasceu nos Estados Unidos na década de 1980 com escaladores e alpinistas e conquistou os brasileiros a partir de 2010 no Rio de Janeiro (RJ). Versátil, o slackline pode ser usado não apenas para o condicionamento físico, mas também para o desenvolvimento humano. Luciana Pereira, diretora administrativa da Dragon Slacklines, conta que o esporte pode ser usado no treinamento corporativo. “A área de recursos humanos da empresa pode observar se o candidato ou o funcionário tem foco, se consegue manter um objetivo a seguir, se tem persistência, se sabe lidar com o ganhar e perder, porque o esporte lida com etapas e a pessoa precisa saber que vai cair, levantar, etc”, explica. “O slackline é uma atividade que exige muita consciência corporal, equilíbrio, força nas pernas e no abdômen. Por isso, um treino funcional que foque esses benefícios, que tenha a diversão e a possibilidade de superação, como o Slackline, é muito bacana para oferecer ao aluno opções diferentes para manter uma atividade física contínua”, diz Trivelato. Além disso, o slackline conta com vertentes que possibilitam agradar a um público bastante variado. Segundo Volpe, o esporte pode ser feito como: Trickline É mais competitivo e possui manobras e acrobacias aéreas, com saltos que chamam a atenção. “É um show em cima de uma fita de 50 mm de largura”, conta. Luciana orienta que essa fita é também mais elástica, para poder jogar a pessoa para cima durante as manobras, e tem uma textura mais macia. Highline Com fita mais estreita (geralmente de 25 mm), essa modalidade é feita nas alturas, acima de cinco metros em média e pode ou não ser feita com cadeirinha de segurança. “O sistema de ancoragem demanda mais atenção”, reforça Volpe. Longline Percurso praticado a longas distâncias – cerca de 20 metros – independentemente da altura da qual a fita está disposta. Waterline Praticado sobre a água (piscina, rio, mar). “É o que mais pega no verão”, conta Volpe. Yoga line Prática dos movimentos da yoga na fita de slackeline. Seja qual for a escolha, é preciso fixar a fita muito bem em dois pontos de ancoragem, o que demanda cuidado e atenção. O esporte é dividido em modalidades básicas: trickline (realização de manobras de saltos), longline (com fitas caminmaiores, a partir de 20 m), highline (praticado em alturas superiores a 5 m) e waterline (slackline sobre a água). Os níveis do esporte começam da caminhada até as manobras mais ousadas como sentar, ou pular sob o nylon. A conquista para cada modalidade vai depender da dedicação e coragem de cada participante. Para praticar o slackline, você tem que ficar em pé por mais de um minuto sob uma fita de nylon, de 7 a 15 cm de distância e 5 cm de largura, em uma altura aproximadamente de 30 cm. O esporte desenvolve a concentração, equilíbrio, consciência corporal, foco, flexibilidade, agilidade e a coordenação motora. Em 2h dá para perder 400 calorias! O diferente do slackline é testar seus limites e arriscar manobras em cima da corda, sentar sob o nylon, ou apostar em posições de equilíbrio.
Mais informações »

Slackline: saiba mais sobre o esporte e seus benefícios

O Slackline é um esporte no qual o principal objetivo consiste em manter o equilíbrio sobre uma fita de nylon, que costuma ser estreita e flexível. Para aumentar o grau de dificuldade, o praticante do esporte pode fazer manobras sobre a fita. Praticar slackline chapa o abdome, afina a cintura e deixa coxas e bumbuns durinhos. O mais legal é que você mesma monta seu treino e pode praticá-lo ao ar livre. A prática do Slackline começou em meados da década de 80, nos campos de escalada do Vale de Yosemite, nos Estados Unidos. Os escaladores faziam pausas nas atividades típicas para utilizar o equipamento em outros fins, como é o caso das fitas de escaladas. O Slackline, também chamado de corda bamba, é constantemente comparado ao cabo de aço usado pelos equilibristas de circo. A fita utilizada no esporte tem cerca de fita de 15 metros e 50mm de largura. A montagem do equipamento é muito simples: basta esticar a fita elástica entre dois pontos que podem ser duas árvores. A altura da instalação varia de 30 cm a 1 m do chão. Os benefícios do Slackline são físicos e mentais. A atividade diminui o estresse, ajuda aqueimar calorias, melhora o equilíbrio emocional, proporciona consciência corporal, aprimora o potencial de concentração, melhora o autocontrole, fortalece a musculatura, desenvolve habilidades motoras e tonifica diversas partes do corpo. Pessoas de 5 a 80 anos podem praticar o Slackline. A atividade vem conquistando principalmente os surfistas, skatistas e escaladores, pois é considerada uma forma divertida de treinar para outras modalidades esportivas. O esporte é dividido em quatro modalidades básicas: trickline (realização de manobras de saltos), longline (com fitas caminmaiores, a partir de 20 m), highline (praticado em alturas superiores a 5 m) e waterline (slackline sobre a água). Os níveis do esporte começam da caminhada até as manobras mais ousadas como sentar, ou pular sob o nylon. A conquista para cada modalidade vai depender da dedicação e coragem de cada participante. É possível encontrar na internet lojas especializadas na comercialização de equipamentos para praticar Slackline, como as fitas específicas, os protetores de árvores e a catraca de segurança. No Brasil, o Slackline é normalmente praticado na praia, contando com a ajuda de dois coqueiros. No entanto, existem outras modalidades do esporte que fazem sucesso pelo mundo a fora, como o Highline (alturas superam 5 metros), Longline (fita mais longa, proporcionando uma distância de 20 metros), Waterline (fita instalada sobre um ambiente com água), Jumpline (praticante executa giros e saltos) e Trickline (posições estáticas). No início, o Slackline se revela um esporte bem complicado, que testa principalmente o domínio sobre o corpo. A prática, no entanto, faz com que o indivíduo melhore o seu desempenho sobre a fita. Na medida em que o grau de dificuldade aumenta, pode ser necessário o uso de equipamentos de segurança para que não haja riscos de lesões.
Mais informações »

quinta-feira, 26 de março de 2015

Saiba mais sobre o papel da suplementação alimentar no ganho de performance

Atividades físicas e sua importância para saúde do corpo e da mente são fatos conhecidos e praticados, acredita-se, desde antes de cristo, quando Platão criou a primeira escola em homenagem a um herói ateniense que recebeu o nome de Akademia. Hoje, amplamente difundidas e integradas ao estilo de vida de muitos, as academias contam, não apenas com a evolução da tecnologia, mas também do conhecimento humano, com a ajuda da ciência. Os cuidados com o corpo e a mente são como um ciclo interligado, por exemplo, os músculos precisam dos alimentos certos para funcionarem e o atleta precisa dos músculos em pleno funcionamento para exercer sua prática com eficiência. Assim como precisamos da circulação em pleno funcionamento para ganho de ritmo e oxigenação do cérebro, ou de práticas de alongamento para ganhar flexibilidade muscular e, consequentemente, amplitude do movimento e ganho de performance. Não há como fugir da necessidade de se ater ao todo mesmo quando se pretende dedicar à partes específicas do corpo, o desenvolvimento de um músculo depende do bom funcionamento de toda estrutura corporal. São poucos os que ignoram o fato de que a prática de uma atividade física, qualquer que seja, não depende apenas do esforço físico de horas em prática, mas de todo o cuidado em geral que se tem com seu corpo e mente no dia-a-dia. E a alimentação é peça fundamental neste quebra-cabeça de inúmeras peças que envolvem a melhora na qualidade de vida do ser humano. Sabemos que a suplementação alimentar são preparações destinadas a complementar uma dieta, fornecendo nutrientes essenciais como proteínas, carboidratos, vitaminas, fibras, ácidos graxos, etc. E também que a complementação alimentar é dividida em duas categorias: Suplementos dietéticos e os auxiliadores ergogênicos. Apesar de toda a polêmica que envolve esta divisão e dualidade na opinião entre especialistas, principalmente quanto aos suplementos ergogênicos que, em alguns casos, se aproxima ao doping, algumas evidências são amplamente aceitas. A principal delas é quanto ao ganho de performance consequente da complementação alimentar. Mesmo que este ganho não seja um benefício direto, como acreditam alguns especialista no caso dos suplementos dietéticos, é inegável que este ponto seja um ganho consequente para o atleta que busca na suplementação alimentar uma complementação da sua dieta. Isto porque, como dito acima, os cuidados com a saúde do seu corpo fazem parte de um grande quebra-cabeça cujas as peças estão diretamente ligadas entre si. Resumindo, a alimentação adequada, garante mais tempo de prática o que gera ganho de performance. Por exemplo, um atleta que faz a ingestão da proteína whey após treino, está se beneficiando com o aumento da capacidade de síntese proteica muscular, logo, ganhando massa magra, o que gera obrigatoriamente ganho de força e, por fim, performance.
Mais informações »

Musculação: Entenda tudo entre a relação das fibras musculares e o ganho de massa magra

Fibras musculares são as células que constituem um músculo e, ao contrário do que muitos pensam, o ganho de massa muscular não provêm necessariamente da multiplicação dessas células, mas do efeito de inchamento, aumento de tamanho ou hipertrofia destas. Por isso, é tão importante dar atenção adequada para a saúde das suas fibras musculares em trabalhos de ganho de massa. Basta uma lesão comprometendo a saúde dos seus músculos, para que todo o seu esforço de ganho de massa seja posto em risco. Já a importância do ganho de massa é mais conhecida entre atletas. Benefícios como melhora do metabolismo, ganho de força muscular, diminuição da porcentagem de gordura corporal e melhoras na performance, potência e da condição física em geral, são ganhos já amplamente conhecidos, que alcançamos em consequência e, em alguns casos, especificamente pelo aumento de massa muscular (Caso do ganho de força muscular que só é possível após um processo de hipertrofia. Sem o aumento direto do tamanho do músculo, não pode haver aumento de força). Para usufruirmos dos benefícios do ganho de massa sem comprometer nossa saúde, precisamos nos manter atentos ao esforço que geramos em nossas fibras musculares. Isto porque, quando praticamos atividades físicas, provocamos microlesões em nossas fibras musculares que, após um período de descanso e alimentação, se regenera de maneira mais estruturada e forte. Por isso, é tão importante ter consciência que o ganho de massa é um processo gradativo e dependente de inúmeros cuidados, tais como: Cuidados com alimentação: É essencial buscar manter uma dieta adequada. Dietas com alto teor de proteína, por exemplo, são fundamentais no processo de regeneração da fibra muscular. Em casos de atletas de alta performance, este é o momento inclusive de buscar a suplementação para garantir a quantidade ideal de proteínas que deve ser ingerida diariamente. Carga adequada: Um atleta nunca pode ultrapassar o seu limite de esforço, correndo sérios riscos de ganhar uma lesão comprometedora. Ao mesmo tempo, não deve manter a mesma carga por um longo período, pois os músculos se acostumam, pausando o efeito de ganho de massa. Práticas de alongamento: Alongamentos são fundamentais para o ganho de flexibilidade muscular, evitar lesões e alcançar o alongamento da fibra muscular que está trabalhando. Respeitar os períodos de pausa: Assim como a prática da atividade física, o período de descanso do atleta é fundamental para manter a saúde das suas fibras musculares. Isto porque, além de outros fatores, é neste período que ocorre a regeneração destas fibras.
Mais informações »

segunda-feira, 23 de março de 2015

Surfista Filipe Toledo defende a liderança do ranking no Rip Curl Pro Bells Beach

Depois da estreia espetacular da seleção verde-amarela do WCT na etapa de abertura do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2015 na Gold Coast, a expectativa agora da comunidade internacional é se a ótima participação dos brasileiros irá se repetir no segundo desafio da temporada. O prazo do Rip Curl Pro Bells Beach começa em 1.o de abril e vai até o dia 12 nas ondas geladas de Victoria, no sul da Austrália. O único brasileiro a badalar o sino da vitória na etapa mais antiga do Circuito Mundial foi Adriano de Souza em 2013. Além dele, o Brasil agora tem outros destaques, como o campeão mundial Gabriel Medina e o também paulista Filipe Toledo, que vai competir com a lycra amarela de número 1 do ranking da World Surf League. Mais quatro surfistas formam a seleção brasileira no grupo dos 34 melhores surfistas do mundo e todos já estão escalados para estrear em Bells Beach. Assim como no Quiksilver Pro Gold Coast, o Brasil vai participar das primeiras baterias do Rip Curl Pro Bells Beach. O paulista Wiggolly Dantas, quinto colocado em sua primeira atuação na elite do WCT, está na bateria que abrirá o campeonato com o australiano Taj Burrow e o francês Jeremy Flores. E Adriano de Souza entra na segunda com o australiano Kai Otton e o norte-americano Brett Simpson. Esta primeira fase não é eliminatória e os vencedores das baterias avançam direto para o rounde 3, mas os perdedores têm uma nova chance de classificação nos duelos homem a homem da segunda fase. A outra novidade da “seleção canarinho” no WCT 2015, o potiguar Italo Ferreira, que surpreendeu ao eliminar o onze vezes campeão mundial Kelly Slater na Gold Coast, será o próximo a se apresentar, na quarta bateria com o havaiano John John Florence e o norte-americano C. J. Hobgood. Já Gabriel Medina está na sexta com o australiano Matt Banting e o convidado da Rip Curl que ainda não foi anunciado. Medina é patrocinado pela marca que promove esta etapa e tentará apagar a má estreia em Snapper Rocks, onde foi barrado ainda na terceira fase pelo irlandês Glenn Hall em sua primeira competição depois do título mundial conquistado no Billabong Pipe Masters, no Havaí. Depois de Medina, ainda tem Miguel Pupo contra o próprio Glenn Hall e o campeão mundial Joel Parkinson na nona bateria, além do vencedor da primeira etapa do Samsung Galaxy World Surf League Champioship Tour 2015, Filipe Toledo, que vai competir pela primeira vez com a lycra amarela de número 1 do mundo, que desde a sexta etapa do ano passado vinha sendo utilizada por Gabriel Medina. Filipinho fará sua primeira defesa da liderança do ranking estreando junto com o potiguar Jadson André na 11.a e penúltima bateria da primeira fase, completada pelo australiano Owen Wright. BRASIL NOTA 10 – Os brasileiros brilharam no primeiro desafio do ano na Gold Coast. Além de Filipe Toledo festejar a sua primeira vitória no WCT, Adriano de Souza e Miguel Pupo dividiram o terceiro lugar e Wiggolly Dantas ficou em quinto, ou seja, entre os oito primeiros colocados no ranking 2015, quatro são do Brasil e quatro da Austrália, a maior potência do esporte. O título de Filipinho foi conquistado de forma brilhante, com a primeira nota 10 do ano na onda que ele surfou para fechar a bateria final contra o australiano Julian Wilson. Na categoria feminina, a única nota máxima também foi conseguida pela única brasileira na elite das top-17 do Samsung Galaxy World Surf League Women´s Tour 2015. A cearense Silvana Lima completou um aéreo perfeito para arrancar nota 10 dos juízes quando disputava classificação para as quartas de final contra a australiana Sally Fitzgibbons. Depois ela foi barrada pela hexacampeã mundial Stephanie Gilmore e começou em quinto lugar a temporada que marca o seu retorno à divisão de elite do surfe mundial. Silvana vai estrear na segunda bateria do Rip Curl Pro Bells Beach, enfrentando Sally Fitzgibbons de novo e a também australiana Nikki Van Dijk. PRÓXIMAS ETAPAS – Depois do Rip Curl Pro Bells Beach, o Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2015 tem mais uma etapa na Austrália, o Drug Aware Margaret River Pro nos dias 15 a 26 de abril, antes de chegar ao Brasil. A etapa brasileira do WCT será especial esse ano e promete superlotar a praia da Barra da Tijuca nos dias 11 a 22 de maio. A enorme arena do Rio Pro será novamente instalada no Postinho, próximo da conhecida Barraca do Pepê. É a primeira vez que o evento será realizado com um brasileiro como campeão mundial, Gabriel Medina, podendo até acontecer com outros brigando diretamente pela liderança do ranking, caso repitam as ótimas atuações da Gold Coast também em Bells Beach e Margaret River. PRIMEIRA FASE DO RIP CURL PRO BELLS BEACH 2015: Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase: 1.a: Taj Burrow (AUS), Wiggolly Dantas (BRA), Jeremy Flores (FRA) 2.a: Adriano de Souza (BRA), Kai Otton (AUS), Brett Simpson (EUA) 3.a: Kelly Slater (EUA), Sebastian Zietz (HAV), Ricardo Christie (NZL) 4.a: John John Florence (HAV), Italo Ferreira (BRA), C. J. Hobgood (EUA) 5.a: Mick Fanning (AUS), Freddy Patacchia Jr. (HAV), wildcard Rip Curl 6.a: Gabriel Medina (BRA), Matt Banting (AUS), wildcard Rip Curl 7.a: Jordy Smith (AFR), Adrian Buchan (AUS), Keanu Asing (HAV) 8.a: Michel Bourez (TAH), Nat Young (EUA), Dusty Payne (HAV) 9.a: Joel Parkinson (AUS), Miguel Pupo (BRA), Glenn Hall (IRL) 10: Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS), Adam Melling (AUS) 11: Filipe Toledo (BRA), Owen Wright (AUS), Jadson André (BRA) 12: Julian Wilson (AUS), Kolohe Andino (EUA), Matt Wilkinson (AUS) Fonte – Assessoria WSL
Mais informações »

Suco Detox: Pele saudável, vitalidade e menos fadiga

O suco detox é uma bebida que apresenta componentes que favorecem a limpeza hepática, potencializando a eliminação de toxinas que sobrecarregam o nosso organismo. Ele recebe este nome, pois o fígado é o órgão mais importante no processo de DESTOXIFICAÇÃO, conhecido também por DETOX. Ele transforma as toxinas que captamos do meio ambiente (ar poluído, alimentos contaminados com agrotóxicos e com aditivos alimentares, medicamentos, entre outros) em substancias que são eliminadas pela urina, fezes e bile. Promovendo esta limpeza do fígado, ou seja, promovendo a DETOX, facilitamos o processo de emagrecimento e de diurese, além da melhora de outros sintomas. Ao tomar um suco detox oferecemos tudo o que o nosso organismo necessita para se curar – vegetais crucíferos com nutrientes, alimentos com antioxidantes, vitaminas e minerais. Estas receitas de detox ajudam a limpar o corpo de dentro para fora e você vai ver resultados a nível físico e mental. A concentração aumenta, os níveis de energia aumentam e a sua pele fica mais saudável. Se você sente muita fadiga mental ou física experimente estas receitas. Em conjunto com o jejum intermitente e uma dieta saudável, você vai conseguir emagrecer com o mínimo de esforço possível. Dieta Detox ou um Suco pela Manhã? Existem várias formas de utilizar os sucos detox para melhorar a pele e emagrecer: Maça VermelhaDieta detox. A dieta detox é a forma mais radical para resultados mais extremos. É comum emagrecer 10 a 30 quilos em dois meses. Na dieta detox você deixa de comer alimentos sólidos e bebe só sucos naturais e água. A dieta detox ajuda a emagrecer rápido porque o corpo entra facilmente em déficit calórico. Jejum intermitente e um suco detox. Substituir o café da manhã por um suco verde é uma boa forma de perder gordura e manter o rendimento mental no trabalho. Para emagrecer com saúde recomendo esta opção juntamente com o cardápio para emagrecer e as dicas do artigo da Dieta para Emagrecer e o artigo Como Emagrecer. Como Fazer um Suco Detox Geralmente a base de um suco detox é de vegetais e a fruta é adicionada para dar algum sabor. Não adicione só uma peça de fruta ao suco porque a frutose aumenta demasiadas as calorias do suco. Suco de Beterraba A beterraba está cheia de vitamina B3, B6, C, betacaroteno, magnésio, zinco e cálcio – tudo é essencial para facilitar a eliminação de toxinas. O suco de beterraba ajuda no suporte do funcionamento da vesícula biliar e do fígado. Uma das particularidades do suco de beterraba são os nitratos que melhoram a oxigenação durante o exercício físico. Aqui está uma receita de suco de beterraba para a dieta detox. Contém muitos vegetais de alta densidade nutricional: 1 massinho de salsa 1 massinho de coentros 2 cenouras 1 maçã 3 pendúculos de aipo ½ beterraba (começar com meia beterraba, aumentar ao longo do tempo) 1 pedaço de gengibre de 2 centímetros. Suco de Pepino e Aipo Pepino e aipo são dois vegetais muito bons para sucos detox. Eu gosto especialmente do suco de pepino para desintoxicar, porque é uma boa base para um suco e é um diurético natural. A pele dos pepinos contém muitos minerais importantes, incluindo a sílica que mantém o nosso tecido conjuntivo forte. A sílica também é encontrada na massa muscular, tendões, ligamentos, ossos e cartilagem. O suco de pepino também torna a pele mais radiante. Para fazer sucos escolha os pepinos firmes e verdes escuros. O aipo contém poliacetileno que é anti-inflamatório. O suco de aipo é bom para quem sofre de artrite reumatoide, osteoartrite, gota e bronquite. Além de ser anti-inflamatório o aipo também ajuda na digestão, diminui a pressão arterial, prisão de ventre e ajuda na prevenção de pedras na vesícula biliar. Aqui está uma receita de um suco detox com pepino: 1 massinho de salsa 1 massinho de folhas de dente-de-leão 2 cenouras 1 tomate 3 pendúculos de aipo 1 pepino ½ limão 1 pedaço de gengibre de 2 centímetros. Suco de Couve Lombarda, Repolho Crespo e Couve Manteiga Os sucos detox com vegetais crucíferos como o repolho crespo são muito bons para desintoxicar o organismo. O repolho crespo é um dos super alimentos da moda. É rico em ferro – por caloria contém mais ferro que a carne de vaca. O ferro é essencial para a formação de homoglobina. Contém vitamina K que pode ajudar a saúde óssea. É um alimento anti-inflamatório. Os ácidos graxos ômega 3 ajudam nos problemas de artrite. O repolho crespo também é rico em vitamina A e C que melhora a visão, pele e o sistema imunitário. A vitamina C também ajuda a regular o metabolismo. Este repolho também contém mais cálcio por caloria do que o leite. Fonte: Saúde Ideal Blog
Mais informações »

Mark Boyle decidiu recomeçar a vida sem usar dinheiro e fez um pub que ninguém paga

O dia foi cansativo e você quer beber uma cerveja, mas se dá conta de que está sem dinheiro. Não será problema no primeiro pub grátis da Grã-Bretanha. Construído numa antiga fazenda de criação de porcos na Irlanda, o An Teach Saor (“A casa livre”, em irlandês) oferecerá acomodação e cerveja caseira de graça. Os donos conseguiram 10.300 libras (R$ 40 mil) na internet para reformar a casa, que abre as portas no verão de 2015, e equipamentos. A fazenda estava falida e degradada quando foi comprada por um grupo de ecologistas e reaberta, em 2013. Hoje tem 700 árvores plantadas, pomar, colmeias naturais e criação de cogumelos, mantidos sob os princípios da “permacultura”, que cria ambientes e comunidades ecologicamente sustentáveis. Os alimentos são usados na casa ou oferecidos de graça aos visitantes e moradores da região. Depois de um ano de experiência, os donos lançaram no site de doações inglês Crowdfunder uma campanha para transformar a sede da fazenda em um pub. Além dos equipamentos para a produção de cerveja artesanal, a casa, antiga e feita de pedra, está sendo reformada e vai ganhar um bar, espaço para shows, leituras e palestras. Os visitantes poderão se hospedar, comer, beber e assistir aos eventos de graça. Em troca, são estimulados a retribuir com algum presente – jamais dinheiro. “Pode ser um tempo atrás do balcão do bar ou uma cover de mau gosto de ‘Hotel California’ no fim do dia. Você dá o que tiver para oferecer”, diz Mark Boyle, um dos donos. Conhecido na Inglaterra como “o homem sem dinheiro”, ele viveu sem nenhum tostão entre 2008 e 2010 e narra a experiência no livro O homem sem dinheiro – Vivendo um ano na economia livre. “Isso é um novo entendimento do que um negócio pode ser”, fala. O projeto quer provar que é possível levar adiante uma empresa sem o uso do dinheiro, como defendem os praticantes da economia livre, que rejeita o papel-moeda e propõe uma economia baseada em trocas e presentes.
Mais informações »

sábado, 21 de março de 2015

Confira o vídeo dos grupos Slackd ´Avila e Nokaya Slackline fazendo Waterline no Arpoador

A produtora Mandrake e os grupos Slackd ´Avila e Nokaya Slackline fizeram um Waterline no Arpoador – Ipanema – Rio de Janeiro. O resultado foi registrado de maneira magistral por Ricardo Joppert. WaterLine é uma das vertentes mais antigas também, junto com o longline. No waterline qualquer umas das fitas podem ser usadas, tanto de 25 mm quanto de 50 mm e por isso a variedade é enorme, possibilitando que seja feito o trickline quanto o longline, a diferença para as outras modalidades é que a fita fica sobre a água, o que acaba mudando um pouco o seus psicológico mesmo que involuntariamente. O relevante do waterline diferentemente das outras vertentes é que não é só o domínio da fita e das manobras, cair também faz parte da diversão, e por ser na água você pode tentar saltos mortais e piruetas sem medo de se machucar, desde que faça no lugar seguro e sem riscos. Fique atento! Boa diversão!!!
Mais informações »

Conheça os benefícios e cuidados ao praticar o slackline

Slackline é um esporte relativamente novo e cada vez mais na moda, mas a ideia já é antiga: a “corda bamba”. Os escaladores do Parque Yosemite, na Califórnia, começaram a andar em cima de correntes e fitas de escalada, e logo perceberam que esta atividade fortalecia as pernas e o corpo, ajudando no equilíbrio que ajudou na escalada. O slakcline, esporte que envolve andar e se equilibrar em cima de uma fita apropriada, cresce cada vez mais no Brasil. O sucesso não é à toa, além de ser muito divertido, a atividade também melhora o equilíbrio, postura, a concentração, aumenta a força e diminuir o estresse. Porém, é necessário tomar alguns cuidados quando for começar a praticar o slakline. "Primeiro é preciso ter conhecimento sobre como é a colocação das fitas", diz o educador físico Igor Armbrust, professor do curso de pós-graduação em esportes radicais da Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Procure locais resistentes para montar a fita, árvores com raízes profundas ou colunas, preferencialmente aquelas arredondadas. Serão necessários uma fita de nylon com cerca de 5 centímetros de largura, uma catraca que irá tencionar a fita e duas alças onde a estrutura será presa. Procure fazer o esporte em parques ou na praia, pois assim as quedas podem ser amenizadas pela grama ou pela areia. Fique atento para a altura em que a corda será colocada. "Comece com uns 30 ou 40 centímetros e tenha alguém te dando a mão. Coloque o pé inteiro em cima da fita, não o deixe de lado, mantenha os joelhos semi-flexionados e mantenha os braços abertos com a palma da mão virada para cima", orienta o educador físico Dimitri Wuo Pereira, proprietário da empresa Rumo Aventura. O esporte pode ser feito descalço ou com um tênis de solado mais rígido, caso ele seja muito macio não é possível aplicar a força corretamente ao se equilibrar. "Antes de começar o exercício sempre alongue e aqueça o corpo", indica o educador físico José Sodré, profissional parceiro da Gibbon Slacklines Brasil. Melhora o equilíbrio e a postura Como o objetivo é se manter sobre uma fita de base pequena e oscilatória, o equilíbrio é trabalhado a todo o momento. Assim, os músculos responsáveis pelo estabilização são fortalecidos e ocorre a melhora do equilíbrio. "Consequentemente a propriocepção, que é a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, aumenta", constata o educador físico José Sodré, profissional parceiro da Gibbon Slacklines Brasil. Uma consequência do ganho de equilíbrio é a conquista da postura certa. "A fita obriga o praticante a manter uma postura correta para que ele consiga ficar sobre ela o maior tempo possível", explica Sodré. Aumenta a força No esforço para manter-se equilibrado, a musculatura profunda que é a responsável pela estabilidade é trabalhada. "O corpo precisa conseguir ficar na posição ideal para alcançar a força máxima. Quando se conquista maior equilíbrio ocorre o aumento da precisão do movimento", explica o educador físico Dimitri Wuo Pereira, proprietário da empresa Rumo Aventura. Com a musculatura profunda mais desenvolvido também torna-se possível realizar movimentos mais amplos e com grande intensidade, como ocorre no pilates. Fortalece o abdômen O abdômen é muito exercitado durante a prática do slackline. "Como a pessoa está em movimento de desequilíbrio o abdômen é trabalho o tempo todo. A musculatura exercitada é a mais profunda que será importante para conseguir se equilibrar", conta o educador físico Igor Armbrust, professor do curso de pós-graduação em esportes radicais da Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Por isso, não é possível conquistar o abdômen com tanquinho por meio do slackline. "Para isso é preciso fazer os movimentos repetitivos, como o abdominal, mas com este esporte a pessoa irá trabalhar a musculatura que dificilmente é exercitada na academias", pondera Armbrust. Fortalece as pernas Os membros inferiores são fortalecidos com o slackline. "Começando pelos músculos dos pés que são de extrema importância e negligenciados, panturrilha, tibial, posterior, anterior e lateral. Todos os músculos são solicitados e ainda há os estímulos de força, resistência e vibração decorrente da oscilação da fita", destaca Sodré. As articulações não são prejudicadas nesse exercício. "Indico ficar parado com apenas uma perna sobre a fita. Isto é importante para o ganho de força e evita lesão porque não desgasta a articulação já que não ocorre o atrito do movimento", explica Pereira. Previne lesões Ao fortalecer a musculatura profunda, as articulações, tendões e ligamentos ficam mais protegidos. Isto porque esses músculos estão próximos destas outras partes do corpo e assim as chances de lesões diminuem. Como o slackline faz com que o equilíbrio fique mais apurado isto irá prevenir quedas e torções. "Eu dou aula de slackline para idosos e tem sido ótimo, pois fez com que eles melhorassem o equilíbrio e fortalecessem as pernas, dois fatores aliados para evitar tombos na terceira idade. Claro que temos mais cuidado ao fazer o esporte com pessoas mais velhas, usamos colchão embaixo e temos dois professores que os ajudam na travessia", conta Pereira. Melhora a concentração e autoconfiança É preciso estar 100% concentrado durante a prática do slackline. "A dinâmica deste esporte está desequilibrando a pessoa a todo o momento, se ela não focar em um ponto fixo e se concentrar completamente no que está fazendo, irá cair", constata Armbrust. A autoconfiança também melhora com a pratica do slackline. "Eu começo fazendo o esporte com a corda baixinha e conforme melhoro vou querer colocá-la mais alta e depois mudar os movimentos, vou estabelecendo novos desafios", constata Pereira. Diminui o estresse O slackline também contribui para diminuir o estresse. "Afinal, a pessoa precisa estar concentrada e não dá tempo de pensar em outros problemas, ela se dedica totalmente na execução do movimento e alivia as outras tensões já que muda o foco", explica Pereira. O fato do esporte ser realizado ao ar livre em parques ou na praia também contribui para a sensação de bem-estar. Uma pesquisa feita em 2006 pela Universidade de Chiba, no Japão, observou que pessoas que estiveram em um ambiente natural por 20 minutos contaram com uma concentração de cortisol, hormônio relacionado ao estresse, menor do que quem ficou em locais urbanos. No Rio a febre acontece nas praias e a galera está mandando na orla do Rio. Mais infomações https://slacklinerio.wordpress.com/
Mais informações »
 
Traduzido Por Mais Template
Template by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top